Levanta, princesa, a abóbora virou carruagem (conto) - Josy Stoque


Autora: Josy Stoque
Editora: Amazon 
17 Págs.
2013


Nesse conto conhecemos uma mulher casada, com dois filhos e que se encontra cansada e revoltada com o ponto onde sua vida chegou. Ela se sente sugada pela rotina e percebe que tem permitido que seu papel de mãe, esposa e profissional anule seu lado mulher e seu eu mais secreto. E tem dias que ela pensa em largar tudo, mas não tem coragem nem certeza de que assim seria feliz de verdade.

"Todo dia a mesma rota, os mesmos problemas, as mesmas caras de bosta. Os filhos pedindo, o chefe exigindo e o marido reclamando. Estou de saco cheio! Onde estão as aventuras dos romances? O frio na barriga? A paixão pelo meu trabalho?"

Ela se sente tão desvalorizada e desmotivada que um belo dia acorda decidida a, pelo menos em um único dia na vida, fazer tudo diferente e só pensando nela e nas suas vontades (livre das convenções sociais e amarras morais). Ela acaba encontrando algo/alguém tentador e irresistível e vivenciando uma tarde de loucuras. Permitindo-se sentir sensações a tempos esquecidas. Sentindo-se uma mulher linda, desejável e cheia de autoestima. Depois desse dia de catarse ela volta para sua rotina com as baterias recarregadas e com uma nova perspectiva.


Acredito que além de ser um conto erótico empolgante, esse texto me passou a mensagem de que apesar da rotina nos absorver de forma avassaladora, por mais que a sensação de impotência seja persistente, temos sim o direito e o poder de mudarmos nossa vida e buscarmos o que nos faz feliz além claro de ter uma válvula de escape.

É isso fica a dica de um conto nacional objetivo, interessante e que sugere reflexões importantes. 



Obrigada por visitar, ler e deixar sua opinião!!!
Não esqueça de deixar o endereço do seu blog para que eu possa retribuir seu comentário, ok!!!???

8 comentários:

  1. Ahh que linda!!! Você captou a mensagem! Adorei!!! Muito obrigada por expor sua opinião, adoro ler! É o que sempre digo: você pode não concordar, porque não faria, mas a personagem não é você. Capture a lição que ela aprendeu com erros, sem precisar cometê-los. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi isso mesmo que entendi \o/ adorei seu recado querida. Aos poucos vou ler tudo seu ok!!! Beijos

      Excluir
  2. Oi Aline!
    Vi o conto da Josy no site dela e também quero ler assim que voltar a ler e-books. Fui obrigada a parar um pouco de ler eles até comprar meu kobo, ler no computador estava prejudicando minha vista.
    Assim que voltar a ler e-books esse conto e o livro Puro Êxtase também da autora entraram na lista de leituras. Adorei sua resenha! :)

    Beijos,

    Rafa [ Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  3. Oi Aline!
    Achei interessante a mensagem que a narrativa transmite aos leitores. Acredito que, apesar do "corre e corre" diário, devemos ter um momento só nosso, onde podemos relaxar e cuidar de nós mesmas!!
    Beijos

    http://versosenotas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi flor,
    Adorei a dica realmente as vezes acordamos com essa vontade de mandar tudo pro alto mesmo ne? Mas acredito como você que somos responsáveis pela nossa vida e por o que acontece nela.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    Oi flor,
    Parabés ao autor. Achei a capa muito bem elaborada e a história parece ter potencial, vou aguardar sua resenha.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá Aline.. Achei super interessante a mensagem wue o livro passa.. Só nao curto muito o gênero...
    http://foreverabookaholic.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Aline, tudo bem?

    Não curto livros e contos eróticos. Acho que todo mundo tem essa postura de querer jogar as coisas pro alto e tal.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá Line,
    depois dessa resenha me arrependo de não ter aproveitado quando o conto estava de graça T.T
    Gostaria de ver o jeito que ela saiu dessa rotina.
    Acredito que sim, devemos sair da rotina, mas não de forma extravagante.
    Super Abraço, Victor Rosa

    ResponderExcluir